segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Perspectivas da ABS



Estudantes cristãos de ensino médio de todo o Brasil estão sendo desafiados a compartilhar em suas escolas as experiências vividas com Jesus. A Bíblia tem sido apresentada como resposta aos desafios contemporâneos do ambiente escolar através do diálogo pessoal, discipulado, debates, grupos de estudos, seminários, atividades artísticas e outras iniciativas.

O movimento ABS tem influenciado a vida de muitos estudantes, promovendo a visão integral do Reino, a vivência da fé responsável numa espiritualidade sadia, a prática da comunhão, o serviço aos colegas e à comunidade na qual estão inseridos.

Um significativo aumento de interesse, envolvimento e compromisso no privilégio desta missão são vistos em um número cada vez maior de estudantes. Temos buscado intensificar, com apoio dos grupos existentes da ABUB, o processo de divulgação do movimento e mobilização dos estudantes do ensino médio.

A reafirmação dos Encontros Regionais de ABS e a utilização das redes sociais foram marcos neste novo momento da ABS, permitindo maior interação entre os grupos, para troca de idéias, informações, experiências e recursos, bem como a sedimentação da imagem nacional do movimento, em que os estudantes visualizam e se identificam com a realidade de grupos em outras partes do país.

A necessidade de acompanhamento dos grupos da ABS, diante da grande dificuldade no estabelecimento de uma assessoria formal, está sendo atendida com muito afinco e zelo por estudantes universitários e profissionais, sendo um diferencial para o movimento.

O perfil dos estudantes do ensino médio, pelas características próprias da idade, da fase de transição que vivem, das inseguranças e instabilidades existentes, se torna uma grande oportunidade de apresentar a referência de Jesus para dar significado à vida e torná-la relevante.

Temos visto nas escolas uma ótima receptividade ao conteúdo bíblico apresentado de forma criativa e relacional.  Ao propor que o estudante renuncie seu intervalo para participar de um grupo de estudos bíblicos, precisamos atender a expectativa da objetividade e interatividade dos temas, assumindo a responsabilidade de compartilhar algo que tenha sentido para o seu contexto.

Os núcleos da ABS respondem à  carência por um espaço de reflexão e desenvolvimento de relacionamentos íntegros nesta importante etapa pré-universitária. O nosso desejo é que muitas outras escolas pelo Brasil sejam alcançadas pelo movimento ABS, que muitos estudantes iniciem e intensifiquem o relacionamento com Deus, sendo agentes transformadores onde estão e façam diferença na vida de muitos outros.  

Hugo Sant'anna
Diretor Adjunto Nacional de ABS
ABS Aracaju (SE)

Retirado do site da ABUB

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

SOS GUIDOVAL


Caros irmãos e irmãs,
Saudações!

Queremos ajudar os irmãos de Guidoval (MG), cidade de um pouco mais de 7 mil habitantes que foi arrasada pelas chuvas no início deste mês. Tonica, Alcir e uma turma do CEM já fizeram duas visitas ao pastor da Igreja Batista da cidade para verificar as necessidades. Sabemos que eles precisam muito de: móveis (mesa, cadeiras, sofá, cama, etc), eletrodomésticos e colchões (adultos).

   

Esta mensagem é para pedir sua ajuda. Vamos arrecadar as doações e reunir aqui no salão social da igreja. Queremos enviá-las para Guidoval no dia 04 de fevereiro.


Contamos com sua ajuda!

Obrigado.

Pr. Jony, Lissânder e Pedro Paulo

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Meu último dia - (My Last Day - The Jesus Anime)



Há aproximadamente 7 anos atrás, em Budapest, alguns de nós fizeram um brainstoming de uma ideia para criar uma versão da história de Jesus em forma de "Anime" Japonês. Nós convencemos o antigo animador da Disney, , Barry Cooke e trabalhamos por anos para "amaciar " vários escripts, músicas e conceitos. AQUI ESTÁ! 

Em um certo momento, era a história de Jesus encontrando-se com o "endemoninhado" (veja: http://www.youtube.com/watch?v=L5rDrcdz7yE&feature=related). Eventualmente, decidimos que a primeira estória seria sobre a morte e ressureição de Jesus. 

Esta estória se desdobra a partir dos olhos de um criminoso que recebe a mesma sentença brutal de crucificação que Cristo. "Meu Último Dia" é um filme de lamento, arrependimento e redenção. Animé criado pelo The JESUS Film Project, com Barry Cook e a Studio 4C (株式会社スタジオよんどしい Kabushiki-Gaisha Sutajio Yondo Shii). Eles criaram Animatrix, Tekkon Kinkreet e o Cavaleiro de Gotham. Esperançosamente, este será a primeira de muitas estórias curtas da vida de Jesus. Agradeço a todos vocês pelos anos de oração. 

DIVIRTA-SE E POR FAVOR, REPOSTE! 

QUEREMOS QUE ISTO SE TORNE GLOBALMENTE VIRAL.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

O “abecê” da ABS



Uma turminha para quem não tem tempo ruim. Essa é a primeira imagem que vem à minha mente quando penso nos estudantes da Aliança Bíblica Secundarista, nossa querida ABS! E essa imagem vem sendo formada desde a época em que era estudante na ABU. Infelizmente, não cheguei a fazer parte da ABS, mas convivi com vários “abeessenses” no grupo local, em CR's e CF's.

E a criatividade corajosa na hora de desempenhar a “missão” de cada dia, nas escolas, é outra marca dessa turma.

Nos últimos três ou quatro anos temos vivido um novo ciclo na ABS, com o surgimento e fortalecimento de novos núcleos pelo país afora, em praticamente todas as regiões da ABUB. Prova disso é que a “cadeira” da ABS na Diretoria Nacional vem sendo ocupada com “autoridade” nos últimos mandatos, como expressão do crescimento das bases.

Claro que os desafios continuam enormes, mas temos sonhado e lutado para trazer novas perspectivas e melhor estrutura para a missão entre os estudantes do ensino médio.

Num momento como esse, acredito ser sempre relevante nos debruçarmos uma vez mais sobre os nossos marcos essenciais, os nossos fundamentos, o “feijão-com-arroz”, o tal “abecê” da nossa caminhada como movimento missionário estudantil.

Continuamos acreditando firmemente que os estudantes do ensino médio são também nossos missionários por excelência. Estudantes que são chamados e capacitados por Deus para a evangelização, o discipulado e o serviço nas escolas, institutos e “cursinhos” de todo o país, segundo a visão de um Evangelho integral.

E a ABS é uma aliança, o que aponta para um esforço missionário conjunto acima de qualquer barreira, seja ela social, cultural, de gênero ou denominacional. Estudantes que se juntam em torno de Jesus Cristo para segui-lo e convidar outros a fazer o mesmo. Somos um movimento interdenominacional. Como afirma o documento “Pedras Vivas”: nossa identidade está em Cristo, que nos une como família e como povo.

A ABS também é bíblica, o que aponta para o nosso compromisso basilar com a Escrituras, a Palavra de Deus, que deve ser estudada com seriedade, aplicada de maneira relevante em todas as áreas da vida, obedecida com gratidão e compartilhada com alegria. Não por acaso buscamos oferecer um lugar central e privilegiado para o estudo da Bíblia em nossos encontros de formação, possibilitando devoção pessoal e reflexão teológica profunda.       

Por fim, a ABS é secundarista, apontando para um campo de missão particular e igualmente estratégico. Embora o antigo “2º grau” tenha dado lugar ao atual “ensino médio”, o “espaço-oportunidade” de vivência e expressão do Reino de Deus continua tendo o mesmo endereço.

A ABS não deve ser vista simplesmente como uma “pré-ABU”, como se fosse apenas um “estágio preparatório” para o ingresso no movimento cristão entre universitários. Claro que isso acaba acontecendo e é um privilégio para a ABUB colher esses frutos. Mas a ABS possui também seu próprio chamado, e quem irá cumpri-lo serão os estudantes do ensino médio, aqui e agora!

Em 2012 pretendemos celebrar os 40 anos de organização da ABS! Precisamos fazer muita festa e agradecer a Deus por isso. Mas também queremos aproveitar esse momento para refletir sobre os próximos passos e buscar a direção de Deus.
Vamos juntos?

Reinaldo Percinoto Junior
Secretário Geral da ABUB

Retirado do site da ABUB

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

"Formando" adolescentes!



A assessora Lia do Valle compartilha conosco algumas experiências que a nova região Minas Gerais têm tido com encontros de capacitação específicos para ABSenses, e que aprendizado eles têm tido. Ela também fala sobre a última experiência que tiveram, em Juiz de Fora (MG), no ERA.

Obs: A Clara Bontempo foi a representante da ABS Viçosa (a segunda da direita para a esquerda na foto). 

1 - O que seria  mais “específico” para a capacitação de um estudante cristão do ensino médio? Quais são as necessidades deste estudante?

“Os grupos de ABS no Brasil, nos últimos anos, têm tomado um espaço maior na missão estudantil e dentro do nosso movimento temos visto esse crescimento como resposta de oração. Com isso confesso que a ABS precisa de uma atenção especial, pois a dinâmica dos estudantes de ensino médio não é a mesma de estudantes universitários.
Em reposta a esse crescimento devemos pensar na capacitação desses estudantes e vejo a clara necessidade disso, pois convivendo mais com os secundaristas essa necessidade está estampado no rosto de cada um. Há um desejo grande de servir, de fazer a diferença, de ser diferente, de vencer as pressões que sofrem nas escolas; porém não sabem como enfrentar tudo isso.
Como movimento estudantil, temos que unir nossas forças, ou seja, a ABS não se capacita sozinha. Para essa capacitação ela precisa dos estudantes universitários, do apoio da ABU de sua cidade. Para investirmos em capacitação temos que ter ABUenses, obreiros e assessores auxiliares dispostos para servi-los.
Porém não quero chamar a responsabilidade apenas para os universitários da ABUB. Percebi claramente, convivendo um pouco com os estudantes do ensino médio, durante o ERA, que eles dependem de apoio pastoral, do apoio dos pais, do apoio de seus líderes. As lideranças das igrejas e nos lares têm que incentivar e apoiar o estudante que se sinta chamado para a missão estudantil. Para participar de treinamentos  como o ERA, os adolescentes precisam de autorização dos pais e muitas vezes do apoio da igreja.

Compartilho abaixo, um depoimento de uma adolescente sobre a capacitação:

“Algo especifico para a nossa capacitação seria um treinamento de EBI, para que levemos os não crentes a tirarem suas próprias conclusões sobre a palavra de Deus. Precisamos também de ajuda na divulgação dos núcleos, de maneira que atraia os jovens adolescentes como sendo algo divertido para eles, que fuja dos padrões da igreja (culto), mas que aponte para Jesus.” Lizandra Resende de Souza, 17 anos, Juiz de Fora.
2 - Quais são os principais desafios do adolescente cristão?

Novamente, colhi algumas impressões neste último encontro regional de ABS. Gostaria de "deixá-los" dizer, primeiramente:
“Ser realmente diferente, fazer a diferença em uma roda de amigos e mais ainda falar do amor de Cristo e demonstrar esse amor para com aqueles que zombam da nossa fé, da nossa conduta e nossos valores.” Nicole, 15 anos, Caxambú-MG.
“O principal desafio de um adolescente cristão no mundo de hoje é a pressão que os amigos fazem, seja para beber, fumar, e etc., mas, além disso, nosso desafio também é ser um boa influência para nossos amigos” Anderson Vieira, 16 anos, Juiz de Fora.
Os adolescentes enfrentam nessa fase muita pressão dos colegas em relação à fé que assumem. Muitas novidades como sexo, drogas, bebidas, começam a invadir o mundo deles desde cedo, e a fé começa a ser questionada.  E a igreja coloca esses assuntos como proibidos e cria uma barreira para falar sobre eles. Mas muitos se sentem desafiados a seguir com a fé, e os adolescentes são muito apaixonados por aquilo que fazem.
O adolescente cristão quer mesmo ser diferente, ele é intenso e quer demonstrar o amor de Jesus para seus colegas, e esse desejo poderá culminar em um clubinho, em um grupo forte de ABS.

3 – Recentemente ocorreu o Encontro Regional de ABS (em Juiz de Fora, outubro). Como foi este evento? O que é importante na hora de organizar um treinamento para Absenses?
Foi pensando em capacitação para os adolescentes que a região Centro-Oeste marcou um encontro para receber estudantes de ensino médio. E foi muito importante para a região promover um encontro com o foco voltado para esses estudantes.
Os assessores, a diretoria regional e o grupo local que recebeu o encontro trabalharam na organização do evento. Pensamos em uma agenda que chamasse cada um para a responsabilidade de servir a Cristo sem colocar um peso sobre as costas do adolescente.
E é assim que temos que tratar o estudante em nossos encontros, sempre despertá-los para o compromisso com Cristo fazendo com que se sintam à vontade em assumir essa responsabilidade. E o que recebemos foram adolescentes apaixonados por Cristo, com um desejo imenso de demonstrar o amor de Cristo para seus amigos através de suas próprias atitudes.

4  - Após o Encontro, que avaliação vocês fizeram? O que foi muito positivo e o que pode melhorar?
O melhor do ERA de Juiz de Fora foi o relacionamento entre os adolescentes. Quando estão juntos eles se identificam, se sentem fortes, percebem que enfrentam os mesmo problemas, compartilham. E especialmente nesse encontro o relacionamento e o convívio foram bem marcantes, pois estávamos em 25 pessoas, e dentre eles 12 eram da ABS. O apoio da ABU foi muito importante também, eles se sentiram seguros; os universitários contribuíram bastante para o evento, servindo os estudantes da ABS. Esse serviço à ABS trouxe grande aprendizado para todos os estudantes universitários.
O ponto negativo foi a data escolhida - próxima ao ENEM e inicio de final de semestre. Para os estudantes do ensino médio, a data interfere muito. A divulgação do evento tem que ser bem feita, e temos que entrar em contato com os pais, para os mesmos se sentirem seguros quanto ao evento, pois a maioria é menor de idade. Quando divulgamos com antecedência, damos oportunidade aos pais de conhecer melhor o movimento.

5 - O que você espera para a ABS?
Meu coração é movido por Esperança. É fato que a ABS está crescendo, aliás, é resposta de oração. Portanto, investir em treinamentos de capacitação seria a melhor maneira de receber bem àqueles que estão iniciando a ‘carreira’ no ministério estudantil.

Retirado do Blog da ABUB

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Campanha de Vacinação em Viçosa no site da IPB


Pessoal, segue a matéria publicada no site da IPB (Igreja Presbiteriana do Brasil), sobre a primeira campanha de vacinação pelos bons tratos em Viçosa, realizado em outubro/2011. Uma maneira de nos lembrar e se animar para a segunda campanha a ser realizada em setembro deste ano.


Ação de conscientização por bons tratos às crianças e adolescentes tem, em Viçosa, importante participação de adolescentes presbiterianos

Por Cibele Lima
Aconteceu nos meses de outubro e novembro de 2011, a “Campanha de Vacinação pelos bons tratos às crianças e adolescentes”, em Viçosa (Minas Gerais), sendo os adolescentes da Igreja Presbiteriana de Viçosa os principais participantes.

Em entrevista ao Portal IPB, o obreiro de adolescentes na IP Viçosa, Pedro Paulo Valente explica o que é a campanha e como essa iniciativa pode ser estendida à diversas regiões do Brasil.

Portal IPB: O que é a campanha de vacinação?
Pedro Paulo: A campanha é uma forma de sensibilizar a sociedade contra os maus tratos de crianças e adolescentes, o que incluiu desde políticas públicas perversas de desigualdade e exclusão até atitudes de maus tratos domésticas.
A “vacina” simbólica é uma bala doce que adolescentes entregam aos adultos, junto com um certificado de vacinação e um adesivo exigindo o compromisso das pessoas pelos bons tratos. O slogan é “Um acordo em favor dos bons tratos”.
Os objetivos centrais da campanha estão estruturados com base em três fundamentos:
·           a promoção dos direitos da infância e adolescência,
·           a participação e o protagonismo de adolescentes e jovens na defesa de seus direitos
·           a sensibilização e a busca de compromisso da própria comunidade a fim de promover relações igualitárias entre gêneros e gerações.

Portal IPB: Como foi a vacinação em Viçosa/MG?
Pedro Paulo: Viçosa presenciou a Primeira Campanha de Vacinação Pelos Bons Tratos, um evento que teve como protagonista os próprios adolescentes.
Nas ruas da cidade e nos órgãos públicos ouviu-se a voz de 139 adolescentes que ergueram as suas vozes contra os maus tratos e as injustiças sociais que tanto afligem as crianças de nosso país.
Durante os dias 25 de outubro e 04 de novembro, um total de 1280 adultos foram vacinados contra os maus tratos, singelamente simbolizado por uma bala e um “cartão de vacina” no qual assumem o compromisso de escutar os pequeninos e respeitar o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), promovendo um lugar seguro para o desenvolvimento da infância.

Portal IPB: Quem participou da Campanha?
Pedro Paulo: Os adolescentes da igreja presbiteriana juntamente com os alunos da Rebusca, APAE, APOV e Casa de Acolhimento.

Portal IPB: Como surgiu a idéia de envolver os adolescentes da sua igreja?
Pedro Paulo: A idéia de envolver os adolescentes na campanha faz parte de um projeto maior, que é levá-los a compreender que a relevância do evangelho ultrapassa as atividades dominicais da igreja local, “o evangelho é poderoso para nos dar esperança de ver bons resultados, não somente em indivíduos indo para o céu, mas em Cristo, que é Senhor, tornando-se Senhor de fato em nossa cultura: para nos dar, mesmo neste mundo condenado, algo de verdade e beleza" (Francis Schaeffer).

Portal IPB: Os dias escolhidos pela IP Viçosa é a data oficial em que todos realizam ou é uma data escolhida por vocês?
Pedro Paulo: A igreja local tem plena autonomia para escolher a data da campanha em sua cidade.

Portal IPB: Você acredita que os próprios adolescentes, quando conscientes, podem colaborar na prevenção e proteção de crianças, tendo esse papel social?
Pedro Paulo: A campanha tem a proposta de orientar as próprias crianças e adolescentes para que eles sejam os protagonistas do evento. São eles que fazem o convite aos adultos, para começar a conscientização e mudança de hábito, além de ser uma forma de prevenção deles próprios contra os maus tratos.

Portal IPB: Como é feito o treinamento? Em que consiste as oficinas?
Pedro Paulo: Antes de acontecer a “campanha de vacinação” propriamente dita, os adolescentes participaram de 3 oficinas para estudarem sobre maus tratos e bons tratos numa dimensão tanto familiar quanto social. A oficina também os levar a refletir que todos são passíveis de praticar bons e maus tratos, e a única forma de combater o mal é promovendo o bem.

Portal IPB: A iniciativa é de algum movimento cristão?
Pedro Paulo: A campanha de vacinação contra os maus tratos de crianças e adolescentes foi idealizada pela Juventude para Cristo  do Uruguai. Esta oficina fez parte das atividades da Campanha Latino-americana pelos Bons Tratos da Criança, organizada pelo Movimento Cristão Juntos Por La Niñez. No Brasil, ela é liderada pela Rede Mãos Dadas.

Portal IPB: Como líderes de crianças e adolescentes de igrejas presbiterianas podem realizar o treinamento e colocar em prática a vacina contra a violência?
Pedro Paulo: A campanha é coordenada no Brasil pela Rede Mãos Dadas, uma rede de organizações sociais evangélicas com atuação no Brasil e preocupadas com a dignidade da criança e do adolescente em situação de risco.
Está destinada a inspirar, motivar e capacitar pessoas envolvidas no trabalho cristão com essas crianças e adolescentes e contribuir para a mobilização de igrejas e comunidades para esse trabalho.
Para ter acesso ao treinamento e materiais para a promoção da campanha você pode visitar o site da revista Mãos Dadas e ver as instruções sobre a campanha dos bons tratos http://maosdadas.org/rede/bons-tratos.

Portal IPB: Quais os outros projetos da Rebusca e de que forma o leitor pode colaborar?
Pedro Paulo: A Rebusca é uma instituição filantrópica que trabalha há 30 anos com crianças e adolescentes de baixa renda , e suas famílias, em Viçosa – MG, levando-os a caminharem com segurança em direção a autonomia e cidadania, através de seus programas: Centro Educacional Rebusca, Centro Estudantil, Mais Que Vencedores (MQV) e Programa Integração Mãe Criança (PIMC). A melhor forma de se envolver com a Rebusca é apadrinhando as crianças atendidas, com o custo de R$1,00 por dia. Para conhecer melhor a Rebusca você pode visitar o site: http://www.rebusca.org.br.

Para ver as fotos da campanha de vacinação, acesse o Flickr da UPA-IPV.