quinta-feira, 15 de julho de 2010

RADICALIZE! DE DENTRO PRA FORA

Vem aí o evento mais esperado da UPA em 2010... ACAMPAMENTO!



O acampamento da UPA será em outubro, entre os dias 9 e 12. Faremos uma reflexão sobre as bem-aventuranças do Sermão do Monte, feito por Jesus. Vamos discutir sobre a coerência entre vida e fé cristã.

O local é muito bonito, com boa estrutura, incluindo piscina e campo de futebol. Os meninos ficarão em barraca e as meninas no conforto da casa... rsrsrs.

As inscrições já estão abertas, procure alguém da diretoria e faça já a sua (ou mande um e-mail para upaipv@gmail.com Não deixe para a última hora! Serão apenas 60 vagas!

quarta-feira, 14 de julho de 2010

A Menina que Roubava Livros

Aproveite para ler nas férias!

O Clube de Leitura incentiva a leitura do livro ‘A Menina que Roubava Livros’, de Markus Zusak, editora Intrínseca. Nós vamos discutir sobre esse livro no mês de agosto, participe conosco.



Para você se animar mais ainda, segue a sinopse:

Entre 1939 e 1943, Liesel Meminger encontrou a morte três vezes. E saiu suficientemente viva das três ocasiões para que a própria, de tão impressionada, decidisse nos contar sua história, em "A Menina que Roubava Livros", livro há mais de um ano na lista dos mais vendidos do "The New York Times".
Desde o início da vida de Liesel na rua Himmel, numa área pobre de Molching, cidade desenxabida próxima a Munique, ela precisou achar formas de se convencer do sentido da sua existência. Horas depois de ver seu irmão morrer no colo da mãe, a menina foi largada para sempre aos cuidados de Hans e Rosa Hubermann, um pintor desempregado e uma dona de casa rabugenta. Ao entrar na nova casa, trazia escondido na mala um livro, "O Manual do Coveiro". Num momento de distração, o rapaz que enterrara seu irmão o deixara cair na neve. Foi o primeiro de vários livros que Liesel roubaria ao longo dos quatro anos seguintes.

E foram estes livros que nortearam a vida de Liesel naquele tempo, quando a Alemanha era transformada diariamente pela guerra, dando trabalho dobrado à Morte. O gosto de roubá-los deu à menina uma alcunha e uma ocupação; a sede de conhecimento deu-lhe um propósito. E as palavras que Liesel encontrou em suas páginas e destacou delas seriam mais tarde aplicadas ao contexto a sua própria vida, sempre com a assistência de Hans, acordeonista amador e amável, e Max Vanderburg, o judeu do porão, o amigo quase invisível de quem ela prometera jamais falar.

Há outros personagens fundamentais na história de Liesel, como Rudy Steiner, seu melhor amigo e o namorado que ela nunca teve, ou a mulher do prefeito, sua melhor amiga que ela demorou a perceber como tal. Mas só quem está ao seu lado sempre e testemunha a dor e a poesia da época em que Liesel Meminger teve sua vida salva diariamente pelas palavras, é a nossa narradora. Um dia todos irão conhecê-la. Mas ter a sua história contada por ela é para poucos. Tem que valer a pena.

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Onipresença


Cremos que Deus está presente em todas as partes da existência, mas há uma distinção clara entre o Criador e toda a coisa criada. Não adoramos a criação, mas adoramos o Criador que sustenta toda a criação com sua presença, existindo, contudo, independente dela. Deus não depende da criação, a criação depende de Deus.

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Justificados pela fé

O Evangelho em 3 minutos, são mensagens do evangelho curtas e objetivas.

Vale a pena conferir, dá uma olhada...


Leitura: João 8:37-50

Os judeus que conversam com Jesus tentam se justificar de várias maneiras. Além de apelarem para a linhagem de Abraão, eles também se comparam a outras pessoas e se consideram melhores do que a mulher adúltera, os nascidos de prostituição e os samaritanos.

© 2010 Mario Persona - Uso permitido em blogs pessoais. Uso proibido em igrejas, organizações e programas de rádio e TV.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

A Vida: entre o que é e o que eu gostaria que fosse!

Há duas semanas houve uma polêmica envolvendo o Kaká e o Juca Kfouri (comentarista esportivo). O Kaká se dizia perseguido pelo jornalista por professar sua fé em Jesus, e o motivo da perseguição era o fato do comentarista ser ateu.

Juca respondeu ao Kaká dizendo o seguinte: “Critico sim o merchandising religioso que ele e outros jogadores da Seleção costumam fazer, tentando nos enfiar suas crenças goela abaixo.”

O Ariovaldo Ramos por sua vez fez o seguinte comentário, digno de reprodução...

Não é direito do ser humano, ter ou não ter fé? E não é um direito explicar a vida a partir da fé?

Se perde, não é um direito buscar consolo na fé? E se ganha, não é um direito atribuir a superação ao deus em que crê?

Se não há deus, por que a ira contra quem não existe? Logo, é ira contra seres humanos no exercício do direito de explicar a sua vida, e atribuir a sua vitória a quem quer que seja.

E como eu saberia que o articulista não tem fé, se não o tivesse dito no espaço onde deveria falar de futebol? E se alguém, ao ver a demonstração de fé dos atletas, decidir buscar essa fé, não lhe será um direito?

E se, ao ouvir o articulista, decidir pelo ateísmo, isso não lhe será um direito? Por que essa celeuma sobre o que é apenas o exercício de direito?

O fato de eu não gostar de ouvir algo, não tira do outro o direito de falar. O fato de eu não gostar de como alguém comemora os seus feitos, não lhe tira o direito de o fazer.

Direito: faça valer!

Fonte: Blog do Ari.



terça-feira, 6 de julho de 2010

Deus Triúno


O Deus único que adoramos não é três deuses. Adoramos a um Deus que é três em pessoa, mas que é uno em essência, um único ser. Este mistério da Trindade de Deus é algo que escapa à nossa compreensão, contudo não é uma contradição lógica, e nem produto da invencionice humana. É assim que a Bíblia nos ensina.

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Oração da Serenidade


Meu Deus, concede-me a serenidade de aceitar as coisas que não posso mudar, a
coragem de mudar as coisas que posso e a sabedoria de perceber a diferença.

Vivendo um dia de cada vez, apreciando um momento de cada vez; aceitando os revezes como caminho para a paz; percebendo, como fez Jesus, este mundo perverso como ele é, não como eu gostaria que fosse; confiando que endireitarás as coisas, se eu me entregar à tua vontade; para que eu seja razoavelmente feliz nesta vida e supremamente feliz contigo para sempre, na outra. Amém.

Reinhold Niebuhr

quinta-feira, 1 de julho de 2010

UPA com as mãos na massa... quer dizer, na tinta!

Ontem foi um dia diferente para a UPA, nos aventuramos a pintar a casa da Valquíria.

A Valquíria é mãe de dois pré-adolescentes que estudam na Rebusca e estão de casa nova. Eles moram lá em Nova Viçosa.

Arthur, Davi (Peixe) e Pedro Paulo foram os responsáveis pela obra. A pintura ainda não está finalizada, descobrimos que precisaremos de mais uma tarde de trabalho.

O trabalho de ontem foi gostoso e até a dona da casa entrou na pintura... rsrsrsrs.

Não queremos parar por aí, mas que este seja o primeiro de muitos outros atos de solidariedade da UPA para com a nossa cidade – Viçosa.

Preparem-se, porque no segundo semestre nós vamos arregaçar as mangas para servir o nosso próximo!

“E não nos cansemos de fazer o bem.” Gálatas 6:9